definicao marketplacesMarketplace no Brasil ou como alguns preferem chamar market place, é um tema que vem sendo bastante discutido nos últimos anos. Muita gente já ouviu falar  sobre esse  tema em algum lugar, ou até mesmo já tenha comprado um produto ou ate mesmo  visitado um desses sites que trata desse assunto. Muita gente também procura saber o que é necessário e como anunciar, vender nos vários que temos nichos dentro do mercado de marketplaces. Algumas perguntas não corriqueiras de se ouvir como “como faço para estar em outros sites de marketplaces” ou “como posso investir em vários sites de marketplace ao mesmo tempo?” perguntas como essa são bastante frequentes. Mas muita gente realmente não sabe ao certo do que se trata e quais são os principais e-commerce do Brasil e ao redor do mundo que operam com esta modalidade?

A palavra “marketplace”, e provida do idioma inglês, resultando da junção das palavras market (mercado) e place (local). Este que por sua vez  era o local onde as pessoas realizavam trocas, compras e vendas de produtos, bem como onde se localizavam os mercados em determinadas cidades. O termo engloba tanto os mercados de rua (onde os comerciantes montam as suas barracas para venderem os mais variados produtos: carne, peixe, frutas, legumes, etc.), como também o mercado global, o mundo dos negócios. Em alguns casos, a visibilidade dos lojistas aumenta porque os marketplaces são sites conhecidos e comumente acessados pelos consumidores. Grandes exemplos de marketplaces são: Americanas.com, Submarino.com, Buscapé, Dafiti, entre outros.

Com o surgimento da internet e ampliação da redes de internet, mais e mais pessoas e empresas começaram a se conectar e utilizar este canal para distribuir seus produtos, uma espécie de redes de vendas, mercado esse que vai de encontra com os ideais de globalização. Um Marketplace Online nada mais é do que uma comunidade ou um local onde pessoas e/ou empresas se encontram para realizar negócios, comprar e vender alguma coisa. Um portal de e-commerce colaborativo. E um shopping virtual com dois níveis de acesso, temos primeiro um shopping para os consumidores e outra shopping para os lojistas. O lojista pode ser tanto de um segmento de nicho ou não, dependendo em questão de uma eventual proposta do Marketplace, podendo inclusive vender seus produtos através de um Marketplace de terceiros e o cliente, dentro de um só espaço, podemos buscar produtos de diversos fornecedores e marcas

O marketplace pode ser sistematizado para um determinado segmento como é o caso em questão do site Roupas S.A, desenvolvido pela WEBJUMP, ou utilizar o marketplace como um shopping virtual com departamentos e lojas de diferentes segmentos. O grande diferencial do marketplace é ter vantagens para todos os envolvidos: consumidor, lojista e operador.

Para quem compra, a navegação é ininterrupta semelhante a de uma loja virtual, entretanto com o diferencial de ter com essa navegação acesso a centenas de vendedores em um único site, não precisa ser direcionar para outros. Basta que o cliente escolha os produtos que quer comprar, e assim prosseguir com os dados da compra, com um único pagamento, e ainda com um único valor de frente. Também, independente se a compra inclui produtos de diversos vendedores. Depois de aprovada a compra o sistema divide e o pagamento entre administrador, lojista e integrador de pagamento, permitindo maior liberdade e transparência entre as partes envolvidas. O marketplace pode ser desenvolvido para um determinado segmento específico ou então trabalhar com todas as lojas interessadas, agrupando-as em segmentos, como em uma loja de departamentos. E importante ressaltar que a WEBJUMP é a primeira e única desenvolvedora de Marketplace Magneto no Brasil.

Como vender no marketplace? Para começar suas operações em um marketplace, primeiro você precisa fazer um cadastro. A maioria dos grandes marketplaces, como Submarino, MercadoLivre e Americanas.com possui uma ficha de cadastro no próprio site da empresa. Você entra e faz o cadastro como um fornecedor. No Americanas.com, por exemplo, ao fazer o cadastro a empresa pede informações como: CNPJ da empresa, segmento dos produtos que a empresa vai comercializar, contatos comerciais e endereço do site.

Alguns conceitos básicos utilizados nos marketplace facilitam a vida de quem esta ingressando nesse mercado, conceito esses como:

Comissão: é a taxa cobrada pelo marketplace, em geral, sobre o volume de vendas realizados. Esta taxa poderá variar de acordo com o perfil de produto ou serviço disponibilizado pelo marketplace, bem como o grau de abertura ou curadoria do canal. Em geral, esta comissão poderá variar de meros 3,5% (Etsy – marketplace para produtos feitos a mão dos EUA) a até 30% (Uber – marketplace de motoristas dos EUA).

Intermediador Financeiro: é a instituição de pagamento responsável por intermediar as transações financeiras realizadas entre compradores e vendedores, garantindo segurança para ambos os lados.

Exemplos: Moip, Pagseguro, Paypal, Bcash, Pagar.me, etc.

Prazo de Pagamento: em geral, a maioria dos marketplaces trabalham com um prazo de pagamento que pode variar de 2 dias a até 45 dias após a postagem ou entrega do pedido. Isto porque, é necessário garantir a segurança de que a entrega será realizada e o pagamento somente será liberado após este procedimento ser encerrado com sucesso.

Liquidez de Produtos: esta taxa considera o número total de produtos com vendas em um marketplace, e os divide pelo total de produtos geral do marketplace. Este indicador apresenta o grau de maturidade do marketplace e a probabilidade de alguma venda ser realizada. Um marketplace com uma ótima taxa de liquidez pode variar entre 25% e 60%. É comum novos marketplaces apresentarem taxas entre 10% e 15%.

Liquidez de Vendedores: assim como a liquidez de produtos, este indicador considera o número total de lojas com vendas e divide este número pelo total de lojas geral do marketplace.

Cauda Longa: conceito criado pelo autor Chris Anderson e que apresenta uma das principais vantagens do modelo de marketplace ao permitir o acesso a produtos e serviços que antes seriam inalcançáveis e/ou simplesmente nunca conhecidos

Um ponto que chama bastante atenção no mundo desse negócio e a praticidade, podendo inclusive ser acessados em aparelhos celulares que suportam o recurso de lojas virtuais, marketplace é o local no qual os desenvolvedores disponibilizam para os usuários aplicações que podem ser gratuitas ou não. Podemos exemplificar de marketplace: Android Market, Apple´s iPhone App Store, Windows Mobile Marketplace, etc. uma gama de opção.

São exemplos de marketplace a Amazon, o Ebay, o Extra.com.br, a Livraria Saraiva online e o Mercado Livre.Este tipo de comércio eletrônico tem gerado muitas oportunidades para pequenos negócios, precisamente por conta desta variedade de produtos e serviços. Ao fechar parcerias com marketplaces, pequenas empresas podem comercializar sua produção nesses sites, é como se tivessem uma “lojinha virtual”. Também são exemplos de marketplace os sites brasileiros Elo7 (especializada em artesanato) e Tanlup, onde pequenos comerciantes podem criar suas “lojinhas” e vender seus produtos.

As principais dúvidas de quem vai ingressa  são duvidas quanto a organização  estrutural, principalmente com relação aos subdomínios, para onde apontar as informações “web” das páginas, alteração do index, ou usar um index em cada subpastas (subdomínios), adicionar domínios ou usar domínios estacionados, usar subpastas ou redirecionamento, devo instalar cada template nas subpastas ou manter na raiz do Magento, navegação entre lojas, divisão de escopo de lojas, compartilhar ou não clientes, carrinho de compras unificado ou separado e por ai vai…
O ideal segundo os estudiosos da aria e  é planejar a estrutura que o Marketplace deverá ocupar, assim é possível definir e decidir melhor pelas várias maneiras de montar o “Shopping Online”. Então saber o seguimento que vai ser utilizado e a melhor opção, para quem vai se aventurar e ainda não sabe como proceder.
Um bom entendimento da estrutura de pastas do Magento facilita em muito.
Sem dúvida é um desafio a parte, principalmente pra alguém que já está iniciando na plataforma criando um Marketplace, o desafio e longo, porém muito prazeroso.
Outro desafio importante, depois da estrutura inicial que foi criada, é escolher a extensão de Marketplace que mais se adéqua a sua proposta de Shopping Online. Esses são os pontos iniciais a se observar, traçar uma linha de raciocínio e seguir trabalhando nela.
Os e-marketplaces podem favorecer os negócios entre:

  • Empresas (B2B – Business to Business);
  • Empresas-Consumidores (B2C – Business to Consumer);
  • Consumidores-Consumidores (C2C – Consumer to Consumer);
  • Empresas-Governo (B2G – Business to Government);
  • Governo-Cidadão (G2C – Government to Citizen).

Nestas lojas virtuais, o consumidor interessado em comprar algum produto ou serviço pode consultar um catálogo online, fazer encomendas, transações financeiras, consulta ao processo de compra etc.

As transações são processadas pelo operador do marketplace, que depois repassa a porcentagem do valor das vendas combinada para o lojista. O armazenamento e a logística de entrega ficam sob responsabilidade da empresa que comercializou os produtos vendidos através do marketplace.

Entre as Vantagens do marketplace são muitas, uma delas e a visibilidade. É mais fácil atrair o público para um website que conta com diversas marcas e produtos do que para um e-commerce de apenas uma loja. Portanto, ganha-se visibilidade através da divulgação feita por todo o marketplace.Outra grande vantagem e o baixo investimento e alto retorno. Exige-se um baixo investimento para começar as vendas através de um marketplace e o retorno obtido pode ser alto de acordo com o sucesso das vendas. Temos também diversificação de público. O público que acessa o marketplace é muito variado. Muitos deles nunca procurariam pela sua loja. Mas, ao ver os produtos todos em um mesmo lugar, podem acabar se interessando.

O marketplace tem potencial para aumentar em até 40% o faturamento de lojistas on-line que já possuem um e-commerce consolidado. Isso porque os marketplaces são conhecidos do grande público e possuem credibilidade no mercado. Essa reputação é transferida para cada lojista que investe no marketplace como forma complementar de vendas, o que se reflete em maior rentabilidade para o seu negócio.

O marketplace também possuem algumas desvantagens, uma delas e Depender do marketplace. Um grande perigo enfrentado por essas pessoas é ficar dependente do marketplace e não conseguir vender por conta própria. Isso pode ser um grande problema em casos de imprevistos em relação ao marketplace.Outra desvantagem também e a Pouca importância para a sua marca. Por estar diante de várias outras marcas, a importância e o reconhecimento que você recebe por não ser tão bom quanto nas vendas pelo seu próprio site. Temos também a Competição pelo preço. Em marketplaces com muitas lojas de um mesmo segmento pode acontecer de ter tantas opções diferentes que o preço se torna um fator diferencial. E a competição pelo preço nem sempre é vantajosa.

Com relação a segurança o negocio e bastante seguro, como sabemos vender pela internet é uma grande responsabilidade, pois você está coletando dados pessoais e financeiros dos seus clientes o tempo todo. Para não cair em armadilhas de hackers e vírus, você precisa investir em segurança para o seu e-commerce, o que aumenta o custo de manutenção de uma loja virtual própria.

Essa preocupação some quando você opta por vender em um marketplace, já que esta é uma das facilidades que o shopping virtual oferece aos lojistas. De uma simples conexão segura até uma criptografia de dados de ponta a ponta, toda a relação entre você e seus clientes estará protegida.

Em virtude de todos esses aspectos levantados aqui só podemos perceber que o real objetivo das pessoas  é montar uma plataforma onde outras empresas possam se cadastrar e divulgar seus produtos de forma totalmente que seja automatizada, sabemos que isso e um processo difícil porem não muito difícil de achar uma solução definitiva, o importante e estudar e achar possíveis soluções, já que esse e um mercado promissor , quem tudo para crescer  facilitar m muito a vida de quem vende e de quem compra, já que o mundo onde vivemos pede isso, rapidez e agilidade, porque tempo e uma coisa que esta cada vez mais fazendo falta. E preciso salientar também que essa opção de venda pela internet, esse mercado ajuda a levantar as vendas, entretanto em um certo ponto você precisa ter sua própria plataforma, mesmo que continue vendendo fora dela, mas esta é uma decisão que só cabe a você, analise seu mercado, compare as buscas do google, veja se estão procurando mais sua marca, avalie os custos de bancar sua publicidade